Agua

Como é o Mercado de Água Mineral no Brasil

O mercado de água mineral no Brasil é um mercado em ascensão, registra-se um crescimento de cerca de 14% ao ano desde 2010. O país é o quarto maior produtor de água mineral do mundo, segundo a Associação Brasileira da Indústria de Água Mineral, no ano de 2016.

Para se ter uma ideia do crescimento do setor no país, em 1995 o Brasil produziu cerca de 1,5 bilhão de litros de água mineral. Já no ano de 2005 essa produção teve um salto para 5,6 bilhões de litros e em 2007 6,8 bilhões. No ano de 2013 a produção chegou a 7,17 bilhões de litros de água mineral, segundo dados apurados nos Relatórios Anuais de Lavra – RAL.

Essa expansão dos negócios permitiu que novos produtos fossem incluídos no mercado e que atingissem diferentes tipos de público. Mas como um produto que, em teoria, é passível de se obter gratuitamente, consegue ter uma expansão de mercado com valores tão expressivos?

A água da torneira para grande parte dos consumidores não é mais passível de confiança. Assim, aqueles que não se utilizam de águas de garrafa, podem obter agua direto de fontes naturais. Um dos pontos que justificam a falta de confiança é o mal tratamento das águas por conta das concessionárias que as gerenciam, além da falta de manutenção na aparelhagem de encanamento que redireciona a água dessas concessionárias até a torneira do consumidor final.

Um mercado em expansão faz com que produtos mais diferenciados acabem sendo disponíveis no mercado para agradar consumidores mais exigentes. O Brasil está seguindo a mão de alguns países que já ofereciam esse tipo de produto dentro do mercado de águas minerais. Dessa maneira, não há mais limitação de somente existir a água com gás, tendo incorporado na sua gama de produtos águas saborizadas, por exemplo.

Podem se encontrar também, dentro dessas variações, produtos que são oferecidos com maior excelência. A americana Bling H20 oferece tratamentos especiais à agua, além de disponibilizar embalagens diferenciadas – podendo chegar a ser adornadas com cristais Swarovski. No site da empresa, a garrafa de preço mais baixo, nomeada Platinum, custa o valor de US$ 24,98. Se convertido, o valor chega a R$ 82,20.

De conteúdo mais modesto, mas ainda assim com um valor acima, a Minalba oferece também uma linha premium de suas águas sem gás. Custando R$ 4,00, a agua é oferecida em embalagem de vidro com tampa de alumínio. Alega-se que esse tipo de material utilizado mantem o ph da água e conserva os seus minerais, se comparada a versão PET. Para tal, é necessário importar as tampinhas da garrafa da Alemanha.

Esse tipo de diferenciação busca agradar a gama de consumidores de águas engarrafadas. No Brasil, os maiores consumidores são as mulheres. As embalagens, então,são feitas de maneira mais atrativa e os minerais são diferenciados entre si: cada água seria estritamente diferente e teria uma ação diferente no corpo. Se busca, dessa maneira, ampliar o mercado. Enquanto o brasileiro consome 90,3 litros de água, em média por ano, o padrão europeu de consumo e 220 L. E é esse nível que se pretende alcançar.

 

CTA EBook Tributos

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *