Modern Warehouse With Pallet Rack Storage System

5 Passos para Organizar o Supply Chain da sua Envasadora

Equipamentos e também mercadorias são alguns itens do Supply

Para a sua envasadora conseguir funcionar, é importante que vários setores dela sejam vistos. Ela já tem um Supply Chain? Ele está sendo estruturado? Esses 5 passos para organizar o Supply Chain da sua envasadora vão ajudar.

Compreendendo o Supply Chain

O Supply Chain, na realidade, relaciona-se à Logística. No entanto, ele tem maior amplitude, alcançando até as matérias-primas.

Resumidamente, Supply Chain é uma expressão inglesa que significa cadeia de suprimentos. Ela consiste num conceito que abrange todo o processo logístico de um produto ou serviço, desde a matéria prima até a entrega ao consumidor final.

É fundamental que a sua envasadora conheça o seu processo de Supply Chain e que consiga estruturá-lo, fazendo com que todos os seus estágios tenham funcionalidade. Alguns dos pontos que a envasadora deve verificar quando organiza o seu processo são: equipamentos, processo produtivo, matéria prima, automação e também custos.

1) Equipamentos

Quando uma envasadora é planejada, é essencial que adquira equipamentos, sejam eles novos ou usados (isso pode gerar uma economia de até 50%). Para realizar essas compras devem ser planejadas algumas questões, como por exemplo, linha e envase, ou seja, o tipo de recipiente (vasilhame) a ser comercializado: galões, garrafas ou copos.

Outras perguntas importantes estão relacionadas ao tipo do material. Vale dizer que a envasadora deve considerar também o preço que cada um dos equipamentos possui e analisar se, na hora em que o está organizando, pode adquiri-los ou não.

2) Processo produtivo

O que também integra o Supply Chain é o processo produtivo. Deve-se salientar que no caso da envasadora esse processo tem vários estágios, como o bombeamento, envase, rotulagem, estocagem, lavagem, filtragem, lacre, inspeção entre outros. Todos esses passos que compõem o processo produtivo são necessários para que toda a água fique livre de impurezas ou de qualquer substância que possa contaminá-la.

3) Mercadoria

Quando se fala em mercadoria no âmbito das envasadoras, fala-se também a respeito de controle do quanto os consumidores estão consumindo e do quanto a envasadora tem em estoque. Por exemplo: se a envasadora possui os seus estoques lotados, mas o mercado não está adquirindo embalagens de água, há a necessidade de redução do seu estoque, para ter espaço para toas as embalagens.

Outra situação que acontece é quando os consumidores estão adquirindo bastante água e a envasadora está com estoque baixo. É fundamental que a envasadora conheça o mercado e que deixe o seu estoque adaptado para ele.

4) Automação

No mundo moderno, com a quantidade de tecnologias que surgem a todo o momento é essencial que as indústrias automatizem os seus processos, pois caso contrario não conseguem acompanhar seus concorrentes. Qualquer setor da envasadora pode utilizar automação para que os recipientes sejam melhor preparados e os outros processos também.

Vale ressaltar que é natural que as envasadoras maiores necessitem de mais processos automatizados. Nesse sentido, é necessário manter sob controle e decisão um número crescente de aspectos relacionados com a produção e a venda, inclusive aqueles que estejam vinculados com as áreas: comercial, suprimento, estocagem, manutenção e logística.

5) Custos

É claro que a envasadora, como qualquer outra empresa deve atentar para os seus custos e isso em qualquer estágio, desde o bombeamento até a sua distribuição. Resumindo os custos são todos os gastos realizados na comercialização de um bem ou serviço e que serão incorporados posteriormente ao preço dos produtos ou serviços prestados, como: aluguel, água, luz, salários, honorários profissionais, despesas de vendas, matéria prima e insumos consumidos no processo de produção.

Além dos gastos, é importante que a envasadora também reflita sobre maneiras de trazer ainda maior renda, sendo os serviços uma opção: se ela começar a preparar contratos para comercializar bebidas para festas, por exemplo, será maior a rentabilidade.

Outro aspecto dos custos é o canal de distribuição: é vital que a envasadora atente para suas estratégias de distribuição e conhecer os seus distribuidores é essencial nesse sentido.

CTA EBook Tributos

 

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *